Monday, February 13, 2006


O Segredo de Brockback Mountain.

Starring:
Heath Ledger, Jake Gyllenhaal, Michelle Williams, Anne Hathaway, Linda Cardellini
Directed by:
Ang Lee

Este ano, desde logo fica marcado pela ambição e a coragem de ang Lee, em centrar a luz da ribalta numa história de Homossexuais com contornos de infedilidade, tudo num dos filmes mais aclamados do ano 2006, e o mais que provavelmente vencedor do Oscar de melhor filme da Academia!!!

Mas é este filme o melhor filme do ano? desde logo a minha opinião vai num sentido diferente, primiro porque apesar de ser rotulado de um filme de amor, parece-me estarmos perante um filme sobre a solidão, sobre a inadaptação a uma cultura, tudo numa compilação arriscada e acima de tudo provida de uma intensidade emocional acrescida, contudo parece-me que a extraordinaria aceitação do filme se baseia num anuncio da capacidade de aceitar filmes que abordem temas polemicos como a homossexualidade,.
Os pontos fortes do filme acentam na realização estupenda de Lee oferecendo um autentico postal ilustrado capaz de espantar toda a gente, construido sobre uma fotografia magnifica e também numa direcção artistica brilhante, contudo existe algumas falhas principalmente na caracterização fisica das personagens o tempo não passa da mesmo forma para todas as personagens, bem como numa delimitação temporal algo defeituosa!!! Mesmo assim estamos perante um filme intenso, capaz de povocar emoção nos epectadores e também algum repudio principalmente nas cenas homossexuais :=)

O Melhor: Lee com um vituosismo quase irrepetivel!!!

O Pior: A delemitação temporal muito deficitaria nao permite que o publico tenha a noção do tempo que decorre entre as cenas

Avaliação B+

3 comments:

Flávio said...

Concordo com a tua avaliação, mas não na parte da delimitação temporal deficitária. Acho que é exactamente o contrário: não só porque a caracterização está magnífica, mas também porque a passagem do tempo é-nos mostrada de forma poética, com o crescimento dos filhos dos protagonistas.

Mas concordo quando falas da ambição do Ang Lee, é um filme magnífico.

Randall said...

A delimitação temporal de facto não é a melhor, por exemplo, os anos não passam pela personagem principal, do mesmo modo por exemplo, das suas filhas ou do seu companheiro amoroso.

Quanto ao filme pareceu-me que a historia de amor que tanto se falou, não passa de uma historia de infedelidade com umas escapadelas anuais à montanha. O medo e a vergonha condicionaram o "casal" a assumir a relação que se esperava.

No geral acho que o filme passava ao lado de qualquer prémio se a relação não fosse homossexual. Concordo plenamente em com Bateman quando ele diz que a "aceitação do filme se baseia num anuncio da capacidade de aceitar filmes que abordem temas polemicos como a homossexualidade".

O Criminoso said...

Devo dizer que era um filme do qual tinha grandes espectativas. Desiludiu-me profundamente. Já não saía duma sala de cinema tão decepcionado desde o Aviador.

ABRAÇO DO CINEMUNDO